Tudo ou nada

Hoje não tenho nada para dizer.

Passei o dia a observar a Ilha, a ler revistas e jornais e nada. Nenhum assunto era suficientemente importante com impacto na vida de todos para inspirar dois ou três parágrafos.

Bom, também não é bem assim, houve imensos acontecimentos importantes: eleições na Confraria, atuações no palco, nas festividades de São João, ações de angariação de fundos para a viagem de finalistas, mas eu queria mais, queria tudo…

Claro que o dia cinzento que hoje marcou a paisagem também não ajudou.

Decidi ir ao arquivo, encontrei esta imagem de um dia de sol, tirada da ponta do cais, só faltam os sorrisos e as conversas do jovem casal e do grupo de atletas a exibirem torsos musculados e bronzeados.

Esta não é uma notícia. É apenas uma memória de um dia bom. Podemos não ter nada no momento, mas está lá, está lá tudo, um futuro promissor ou um passado cheio de memórias azuis.

Carlos Silva

Depois de uma viagem tranquila, mergulhado num mar de dúvidas, aportei a 2 de setembro de 1999, à Ilha do Porto Santo! À chegada, uma doce e quente onda de calor, qual afago de mulher amada, assaltou-me, até hoje! Do sucedido de então, até aos dias de hoje, guardo-o na memória; os sucessos, de hoje em diante, aqui ficam, para memória futura, da minha passagem pela Ilha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Next Post

Menos nascimentos e maternidade adiada na Madeira

Seg Jun 20 , 2022
O número de nascimentos na Região Autónoma da Madeira continua a diminuir. De acordo com a publicação da DREM (Direção Regional de Estatística da Madeira), em 2021 ocorreram 1727 partos. Menos 115 do que no ano anterior. Uma tendência decrescente que se verifica desde 2018. Por residência da parturiente, registaram-se […]