Ranchões: do Pico para o prato

A imagem pode conter: comida
Ranchões recuperam importância na gastronomia porto-santense

Está oficialmente aberta a época dos ranchões.

A chuva, que tem caído com alguma intensidade na Ilha, transformou por completo a paisagem porto-santense e volta a colocar à mesa diversas plantas. Antes usadas na alimentação, por vezes, por questões de subsistência, são hoje consideradas uma iguaria. Com particular destaque para os ranchões.

“um toque único

na gastronomia porto-santense

Para Laura Melim, trata-se de recuperar um elemento que fazia parte dos hábitos alimentares de antigamente. Depois de receber como oferta uns ranchões, preparou a receita tradicional: cortar como se fora uma couve, e dar uma primeira cozedura apenas em água e sal; depois, dar nova cozedura, agora com um pouco de azeite, e condimentada com alho e pimenta.

Facilmente identificados pela sua folha larga, os ranchões (rapistrum rugosum) são colhidos nos diversos picos da Ilha e tornaram-se parte dos hábitos alimentares porto-santenses. Hoje, têm vindo a ser recuperados como complemento de pratos mais ou menos modernos, dando um toque único à gastronomia dos ilhéus.

Carlos Silva

Depois de uma viagem tranquila, mergulhado num mar de dúvidas, aportei a 2 de setembro de 1999, à Ilha do Porto Santo! À chegada, uma doce e quente onda de calor, qual afago de mulher amada, assaltou-me, até hoje! Do sucedido de então, até aos dias de hoje, guardo-o na memória; os sucessos, de hoje em diante, aqui ficam, para memória futura, da minha passagem pela Ilha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Next Post

Museu etnográfico promove a arte do palmito do Porto Santo

Seg Jan 18 , 2021
Maria Otília e Salomé Melim, na Ilha do Porto Santo, são as duas artesãs em destaque na nova campanha do Museu Etnográfico da Madeira (MEM). As duas irmãs, residentes no sítio da Serra de Fora, dedicam-se à ancestral arte de trabalhar o palmito. De acordo com o post promocional do […]