Quem cuida de ti, Porto Santo?

A única eólica que ainda resiste.

Porto Santo Smart Fossil Free Island! Assim mesmo em inglês! Qualquer coisa como “Porto Santo Esperto Fóssil Livre Ilha”, à letra. Teoricamente, uma excelente ideia: estão da energia, promoção da mobilidade elétrica, redução da pegada ecológica; na prática, medidas pontuais e pouco consequentes!

Enfim, como se mata uma boa ideia?

Pegue-se num Secretário, num Presidente da Câmara, num qualquer político com desejo de palco, junte-se-lhe um projeto (de preferência em Inglês!) e chame toda a gente. Reúna-os no Centro Cultural e de Congressos e proporcione uma ampla cobertura mediática. Convide os jornalistas para passear, para comer e beber. Não se preocupe, muitos jornalistas já nem se preocupam em fazer as perguntas difíceis: como irão reduzir o consumo de combustíveis fósseis? Quando é que a energia elétrica proveniente de fontes renováveis será superior à energia com origem na transformação do petróleo? Vão apostar nas unidades de produção doméstica de energia solar ou eólica?

Parada

Porto Santo Smart Fossil Free Island é uma ideia genial! E, simultaneamente, um nado-morto! Se pensarmos que mais, muito mais de metade da energia consumida na Ilha é proveniente de derivados de petróleo, se pensarmos que antes tínhamos três eólicas e agora apenas uma – inoperacional há mais de um mês, se pensarmos ue a Ilha se prepara para receber uma nova bomba da BP (British Petroleum), percebemos de imediato que o projeto está morto ou para lá caminha. Só não percebemos os motivos que levaram à sua implementação e, pior, à sua destruição!

O abandono da ciclovia, a secundarização da energia eólica, o anúncio de uma nova bomba são os vértices da destruição de uma excelente ideia – uma Ilha verde, “um modelo que possa ser transferido para outras ilhas, eco-distritos e cidades”, como referiu na ocasião Eric Feunteun!

Bem, talvez o projeto Porto Santo Smart Fossil Free Island não tenha passado disso mesmo – um projeto e as lindas palavras propaladas por todos os responsáveis, apenas isso, também, lindas! Inconsequentes!

Numa altura em que os combustíveis fósseis aumentam todas as semanas, seria importante não deixar morrer a ideia e beneficiar da experiência acumulada. É difícil? Sim! A inovação é sempre difícil, mas se não for devidamente apoiada, ainda se torna muito mais complexa.

(correção) Uma última nota para os responsáveis autárquicos pelo Ambiente. Foi sempre prestável. Enviou toda a informação relativamente à autorização do posto de combustível.

É agora, caro leitor, que temos que fazer a pergunta mais importante: queremos continuar a poluir e a esgotar os recursos dos nosso planeta ou contribuir para uma ilha sustentável, energeticamente autónoma e turisticamente apelativa?

Carlos Silva

Depois de uma viagem tranquila, mergulhado num mar de dúvidas, aportei a 2 de setembro de 1999, à Ilha do Porto Santo! À chegada, uma doce e quente onda de calor, qual afago de mulher amada, assaltou-me, até hoje! Do sucedido de então, até aos dias de hoje, guardo-o na memória; os sucessos, de hoje em diante, aqui ficam, para memória futura, da minha passagem pela Ilha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Next Post

Retificação ao artigo "Quem cuida de ti, Porto Santo?"

Seg Fev 15 , 2021
No último artigo de opinião foi cometido um erro primário: dizer que uma entidade consultada não deu resposta. Não corresponde à verdade. A entidade responsável pelo Ambiente, na Autarquia, enviou as respostas às questões em tempo útil. Por lapso, não foi consultado esse mail, pelo que no final do artigo […]