Quebranto e Neptuno em exibição

N2, 2019. Acrílico e carvão sobre tela (180cmx160cm)

Emanuel de Sousa apresenta amanhã a dupla exposição Neptuno e Quebranto.

O artista porto-santense, atualmente a residir na Escócia, traz até à sua terra natal obras que cruzam diversas referências e materiais num jogo de perturbação e provocação com o próprio público. “Nós enquanto espectadores é que nos temos que transformar”, referiu Emanuel de Sousa ao jornal digital A Ilha, perante a identificação de um conjunto de elemento simbólicos presentes nos quadros, como o gato ou o hipopótamo na sala, a máscara de gás, a lambeca ou a cabeça do C-3PO. O estranhamento causado pelas representações, particularmente em Voyage to Neptune e n2 implicam o observador na interpretação do quadro, com implicações das suas próprias memórias. “obras de natureza figurativa que nos transportam, pela apropriação de um conjunto de referenciais Pop, para o universo da ficção científica e da cinematografia, com referências a Huxley, a Kubrick, a Lucas e a Boorman, entre outros”, pode ler-se na sinopse elaborada pelas curadoras da exposição. “Uma representação retro-futurista onde se misturam fórmulas que roçam o expressionismo e o hiper-realismo, em adição ao traço marcante e à força expressiva e pictórica do próprio Emanuel que justapõe elementos do quotidiano ou retirados de películas de ficção científica”, acrescentam Márcia de Sousa e Rita Rodrigues.

Sem título, 2021. sanguínea, esferográfica e lápis de cor (21cmx29,7cm)

Além destas obras, Emanuel de Sousa apresenta um conjunto de catorze desenhos em sanguínea, esferográfica e lápis de cor. Os rostos, não já em retrato, mas transfigurados pela vida e pela criatividade do artista transportam-nos para representações de pessoas com as quais nos cruzamos, quotidianamente, nas ruas, na cidade do Porto Santo.

A exposição estrá patente na sala de exposições da Assembleia Municipal do Porto Santo e na sala de exposições da Casa-Museu Colombo até 31 de agosto. A não perder!

Porto Santo, 28.04.2022

Carlos Silva

Depois de uma viagem tranquila, mergulhado num mar de dúvidas, aportei a 2 de setembro de 1999, à Ilha do Porto Santo! À chegada, uma doce e quente onda de calor, qual afago de mulher amada, assaltou-me, até hoje! Do sucedido de então, até aos dias de hoje, guardo-o na memória; os sucessos, de hoje em diante, aqui ficam, para memória futura, da minha passagem pela Ilha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Next Post

Descubra as diferenças

Qui Abr 28 , 2022