Porto Santo, um parque de campismo em manutenção

“Não somos um simples concelho da Região, somos uma Ilha, somos o Porto Santo…”

(Artigo de opinião do Hugo Nóbrega)

Porto Santo parece um parque de campismo em manutenção, onde não existe espaço para todas as tendas, neste caso “roulottes”.

Uma Ilha com poucas oportunidades, mas com muitos oportunistas, uma população ativa controlada, porque trabalha sobretudo na função pública, em programas de desemprego e na economia paralela da sobrevivência.

Os problemas estão todos identificados há muito tempo, desde a saúde, ao desporto, aos transportes; continuamos isolados a viver muito condicionados, dependendo sempre do verão – a famosa sazonalidade.

Refletimos e torna-se difícil acreditar, os nossos jovens vão e não voltam, não existe um plano, um projeto coeso que nos dê estabilidade e futuro.

Para o ano, temos eleições locais! Será uma dedicação ao voto, onde a incerteza reina e a esperança é imensa; mas, cansados e fartos, precisamos urgentemente de voz ativa, de liderança e poder local.

Não produzimos nada, somos consumidos pelo sistema e em estado de pandemia ficamos mais pobres e vulneráveis, temos um sistema de saúde frágil, uma economia débil e muitos projetos vazios e com interesses individuais.

As burocracias são imensas e confusas, não existe cruzamento de dados entre instituições públicas que ajude a combater a corrupção e apoie os que mais necessitam; as medidas, muitas vezes, desadequadas à nossa realidade, são um desastre com feridos em guerra.

Estamos sempre à espera que sejam os de fora a resolver os nossos problemas, acovardados e, muitas vezes, com interesses próprios! A nossa Ilha é rodeada de egoísmo e inveja – os inimigos da união! E, quando alguém luta, é contestado pela multidão.

Tinha muitas mais linhas para escrever, mais histórias para contar, deixarei para o próximo episódio.

Desejo-vos um Feliz Natal e Boas Festas, com a grande esperança em que a vacina para a cura seja mais eficaz e mais rápida do que os todos apoios que prometem para os que deixaram de trabalhar em prol da saúde pública. Não gostamos de ver mendigos, nem na rua, nem na televisão, mas um futuro não se construi em dar só um pão!

Não somos um parque de campismo, não somos um simples concelho da Região, somos uma Ilha, somos o Porto Santo e vivemos cá o ano inteiro.

Carlos Silva

Depois de uma viagem tranquila, mergulhado num mar de dúvidas, aportei a 2 de setembro de 1999, à Ilha do Porto Santo! À chegada, uma doce e quente onda de calor, qual afago de mulher amada, assaltou-me, até hoje! Do sucedido de então, até aos dias de hoje, guardo-o na memória; os sucessos, de hoje em diante, aqui ficam, para memória futura, da minha passagem pela Ilha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Next Post

Sofia Dias defende um PS plural

Sáb Dez 12 , 2020
“Uma alternativa democrática que devolva condições de vida digna, aos porto-santenses” A estrutura concelhia do Partido Socialista, na Ilha do Porto Santo, tem uma nova presidente – Sofia Dias. A jovem advogada porto-santense sucede assim a Teresa Leão, após uma campanha bastante disputada. A concelhia do Porto Santo foi, aliás, […]