Monumentos e Sítios da Ilha

No Dia Internacional dos Monumentos, alguma História da Ilha. Crédito: Porto Santo Antigamente

A Ilha do Porto Santo é riquíssima em património, seja material, seja imaterial, natural ou cultural. Uma lista imensa que urge conhecer, proteger e divulgar.

No Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, o jornal digital A Ilha selecionou 3 locais de visita obrigatória.

Geossítio dos Morenos

A história da Ilha é a história da Terra como testemunham o conjunto de geossítios que podemos encontrar um pouco por toda a Ilha. Estão inventariados duas dezenas de locais, da praia aos picos mais altos como testemunhos da evolução e transformação geológica do Porto Santo.

De entre estes, destacamos o Geossítio dos Morenos, pela sua multiplicidade de cores e formas que se apresentam na arriba costeira. Um intricado caleidoscópio marcado pela rede de condutas vulcânicas que demonstram as várias fases da ascensão do magma em diferentes etapas de atividade vulcânica na ilha. Em determinados locais é possível identificar bancos de areias e rizoconcreções , o que revela a existência de vegetação que se terá desenvolvido há cerca de 30 mil anos.

Padrão dos Descobrimentos

Popularmente conhecido como “Pau de Sabão” pela sua forma quadrangular, o monumento erigido em homenagem ao Infante D. Henrique no V centenário da sua morte destaca-se no centro da cidade. Constituído por duas peças: um monólito vertical em cantaria rija com 7 metros de altura, cujas faces representam intervenientes nas Descobertas (marinheiros, clérigos, soldados) e um segundo elemento, disposto na horizontal com um excerto d’Os Lusíadas “Assim fomos abrindo aqueles mares que geração alguma não abriu / As novas Ilhas vendo e os novos ares que o generoso Henrique descobriu“. Junto ao monumento, de António Aragão (1921-2008) está posicionada uma peça de artilharia, uma boca de fogo naval inglesa.

Os muros de croché

Embora não tenham ainda sido declarados Património de Interesse Municipal, neste dia Internacional à uma visita que se impõe: os muros de croché. Espalhados um pouco por toda a Ilha, a delimitar as parcelas, sobretudo de vinhas, são estruturas em pedra sobreposta com aspeto
rendilhado que se encaixam umas nas outras de forma
quase perfeita. Numa ilha com ventos constantes, representam o engenho humano na proteção das culturas e das propriedades porto-santenses.

Da formação da Ilha, à “descoberta” e povoamento pelos “Profetas” ao longo dos séculos, o Porto Santo acumulou um património ímpar que importa conhecer e proteger.

Porto Santo, 18.04.2022

Carlos Silva

Depois de uma viagem tranquila, mergulhado num mar de dúvidas, aportei a 2 de setembro de 1999, à Ilha do Porto Santo! À chegada, uma doce e quente onda de calor, qual afago de mulher amada, assaltou-me, até hoje! Do sucedido de então, até aos dias de hoje, guardo-o na memória; os sucessos, de hoje em diante, aqui ficam, para memória futura, da minha passagem pela Ilha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Next Post

Saramago de visita à Ilha

Ter Abr 19 , 2022
Está patente, na sala de exposições do edifício dos Paços do Concelho, uma exposição que assinala o centenário do nascimento de José Saramago. Intitulada “Voltar aos passos que foram dados”, a exposição apresenta uma retrospectiva da vida e obra do único nobel da literatura português, nascido em 1922, no Ribatejo. […]