Levantar as restrições na Ilha

Porto Santo quer o levantamento interno das restrições.

Cresce o número de vozes que exige o levantamento das restrições na Ilha do Porto Santo.

Diversas personalidades, da política e à economia, da educação ao desporto, têm manifestado a sua insatisfação perante a manutenção dos horários de trabalho reduzido, do confinamento e do encerramento parcial de escolas e clubes.

“Não faz qualquer sentido o Porto Santo estar fechado neste momento.”, referiu Luís Bettencourt. Para este empresário da restauração e anunciado candidato à presidência da Câmara, o Governo tem que ter consciência da realidade do Porto Santo e ir ao encontro das suas especificidades. “Que prenda é esta aos porto-santenses que se portaram tão bem?”, critica a propósito do anúncio das restrições até 1 de março.

Com apenas uma caso ativo e sem ligações ferry, a população do Porto Santo, no geral, acredita estarem reunidas as condições para um regresso à normalidade possível.

A própria autoridade local de saúde, em declarações à Rádio Praia, manifestou a opinião de algumas áreas já poderiam desconfinar, nomeadamente, as Escolas. Rogério Correia pede cautela no levantamento das restrições, e pede calma aos comerciantes, já que existe o risco de 10% de entrada de contágio, mas desaprova o confinamento dos visitantes, devido aos poucos contactos que estes estabelecem.

Porto Santo a preto e branco

Pode ser uma imagem a preto e branco de árvore e natureza
Protestar a preto e branco. Crédito: Lee Alvin

A forma de protesto surgiu na rede social de facebook.

Fotografias a preto e branco como forma de expressão do descontentamento pela manutenção as medidas restritivas.

Uma manifestação original, não violenta contra as restrições que teimam em manter apesar da evidente melhoria da situação sanitária.

Com apenas uma caso ativo e sem ligações ferry, a população do Porto Santo acredita estarem reunidas as condições para um regresso à normalidade possível.

Carlos Silva

Depois de uma viagem tranquila, mergulhado num mar de dúvidas, aportei a 2 de setembro de 1999, à Ilha do Porto Santo! À chegada, uma doce e quente onda de calor, qual afago de mulher amada, assaltou-me, até hoje! Do sucedido de então, até aos dias de hoje, guardo-o na memória; os sucessos, de hoje em diante, aqui ficam, para memória futura, da minha passagem pela Ilha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Next Post

Caçadores mantêm a esperança

Ter Fev 23 , 2021
Os caçadores da Ilha mantêm a esperança na sobrevivência dos coelhos. Diversos avistamentos, nos últimos dias, fazem acreditar que alguns animais irão resistir à Doença Hemorrágica Viral (DHV) que neste momento os afeta. Apesar das provocações e das tentativas de desvalorização, parece ter surtido efeito o árduo trabalho dos Amantes […]