Falhanço de 45 milhões

45 milhões depois projeto das algas cai

“Não estamos a insistir neste falhanço” afirmou hoje o presidente da Empresa Eletricidade da Madeira (EEM) a propósito do investimento na fábrica de algas do Porto Santo.

Segundo informações veiculadas pelo JM-Madeira, o projeto de produção de biocombustível foi um falhanço, desde 2014, de acordo com as afirmações de Francisco Taboada.

Com a produção destinada, desde 2019, à indústria farmacêutica e de cosmética, o responsável pela EEM considera não se enquadrar no objetivo da empresa e prepara-se para abandonar o projeto.

Na audiência no parlamento regional, a pedido do Partido Socialista, Francisco Taboada considerou ainda que os direitos dos cerca de 45 trabalhadores porto-santenses seriam tomados em consideração.

Carlos Silva

Depois de uma viagem tranquila, mergulhado num mar de dúvidas, aportei a 2 de setembro de 1999, à Ilha do Porto Santo! À chegada, uma doce e quente onda de calor, qual afago de mulher amada, assaltou-me, até hoje! Do sucedido de então, até aos dias de hoje, guardo-o na memória; os sucessos, de hoje em diante, aqui ficam, para memória futura, da minha passagem pela Ilha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Next Post

Vento forte causa estragos no multiusos

Ter Mai 31 , 2022
O vento forte que esta manhã se fez sentir na Ilha causou danos avultados na cobertura do pavilhão multiusos. O telhado daquela infraestrutura desportiva não resistiu ao vento forte que se fez sentir por volta das 10.00 horas na zona das Matas. “Parece uma folha de papel amarrotado” referiu uma […]