É o progresso estúpido

Ao sair da Escola, a caminho de casa, das férias, penso sobre o valor e importância da pontuação.

Vejam-se os exemplos:

– É o progresso, estúpido!

É o progresso estúpido!

É o progresso… Estúpido!

Naturalmente, o tronco nú da palmeira faz lembrar o ponto de exclamação. É bem o exemplo da surpresa e do espanto. Assim, sem hesitações: estúpido!

Mas o mais importante de todos, o mais complexo, é o uso da vírgula. Com ela afirma-se o progresso, sem ela critica-se o rei automóvel que exige o sacrifício de quatro árvores saudáveis…

É o progresso estúpido…

Carlos Silva

Depois de uma viagem tranquila, mergulhado num mar de dúvidas, aportei a 2 de setembro de 1999, à Ilha do Porto Santo! À chegada, uma doce e quente onda de calor, qual afago de mulher amada, assaltou-me, até hoje! Do sucedido de então, até aos dias de hoje, guardo-o na memória; os sucessos, de hoje em diante, aqui ficam, para memória futura, da minha passagem pela Ilha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Next Post

O que é que esta areia terá a mais que as outras

Qui Jul 21 , 2022
A pergunta do célebre apresentador marca um dos muitos programas realizados a propósito da Ilha do Porto Santo. A História e as propriedades terapêuticas das areias douradas não escaparam à análise e apresentação do Professor José Hermano Saraiva. Falecido a 20 de julho de 2012, o icónico professor é recordado […]